Crianças, adolescentes e assessores da Infância e Adolescência Missionária (IAM) de diversas dioceses de Minas Gerais participaram, entre os dias 17 e 19 de julho, do 4º Congresso Estadual da IAM. O evento reuniu cerca de 300 pessoas e foi realizado em Caratinga (MG), com o tema “IAM e Educação” e o lema: “E todos os que o ouviam ficavam maravilhados com a beleza de suas respostas”, (Lc 2, 47).

Na noite de sexta-feira, 17, o bispo de Caratinga, dom Emanuel Messias, recebeu os participantes e reconheceu a importância do encontro, afirmando que a diocese acolhe o congresso com o desejo de que as crianças e adolescentes aprendam e transmitam cada vez mais o que aprenderam.

“Sejamos discípulos missionários. Discípulo é aquele que segue, que aprende. Missionário é aquele que anuncia. Temos de fazer o esforço de sermos melhores, fazendo de nossa vida uma consagração a Jesus. Mesmo sendo crianças e adolescentes, queremos viver uma vida de saída, de missionários”, disse.

De acordo com a coordenadora do Conselho Missionário do regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Aparecida Alves Gonçalves, a participação das crianças e adolescentes no congresso é um gesto concreto, consequência de um processo de estudo e oração sobre o tema da educação já realizado por todos os grupos de IAM em todo o estado de Minas Gerais. “O objetivo é discutir com as crianças e adolescentes essa questão da educação, que é um assunto nacional. Não é só a educação escolar, mas também a educação ambiental, a questão do respeito, da participação da Igreja”, considerou.

A coordenadora considera ainda que o assunto foi de fácil discussão com o grupo, uma vez que o público do congresso se compõe principalmente de estudantes, que têm contato diário com a realidade escolar e sócio familiar. “Os participantes discutiram sobre temas de seu cotidiano, como a estrutura física e pedagógica de suas escolas, destacando a precariedade da rede pública de ensino”, relatou.

“Mesmo que essa discussão não atinja um efeito macro, cada participante vai sair daqui de uma maneira diferente. Nós focamos nisso, cada um pode fazer a diferença na vida do outro, meus pequenos gestos podem criar grandes efeitos”, explicou Aparecida sobre o trabalho do tema com os presentes.

A partir das discussões das crianças, foi elaborada uma carta final do congresso, que expressou a consciência cidadã que os participantes já manifestam ao perceber uma série de fatores que levam à precariedade da educação, com destaque para a falta de investimentos e políticas públicas eficientes para a área. “Vale a pena destacar a importância da discussão desses assuntos na IAM, pois precisamos ser cristãos inseridos. Se as crianças conseguem dinamizar aquilo que elas aprendem na IAM e colocar isso na sua vivência, a IAM é um sinal da presença da Igreja na formação cidadã, a partir de uma cultura da paz, fazendo essa Igreja em saída, tão falada hoje”, concluiu a coordenadora.

Os participantes realizaram ainda uma caminhada pelas principais ruas da cidade, carregando símbolos missionários. Durante o percurso houve momentos de louvor e de orações, além de expressarem suas considerações sobre a temática da educação e reivindicarem melhores condições e investimentos em políticas públicas

Após a celebração eucarística que encerrou o congresso, houve a posse da nova coordenadora estadual da IAM, Maria Julia Tempesta Baratti, da diocese de Campanha (MG), que dará continuidade aos trabalhos de Maria das Dores Santos, que se dedicoue à coordenação estudal da Iam por quase uma década. Maria Julia Baratti assume a coordenação com a missão de preparar a realização do 5º Congresso Estadual da IAM, na diocese de Campanha, em 2017.

Com informações da diocese de Caratinga

CNBB Brasil