Castel Gandolfo (RV) – A respeito da recente descoberta de um planeta “gêmeo” da Terra, o Padre José Funes, diretor do Observatório astronômico do Vaticano, disse ser muito improvável que a humanidade encontre um dia vida em outros lugares do universo.

Todas as descobertas de um novo planeta, neste caso a de Kepler 452b feita pela Nasa, que afirmou ter muitas semelhanças com a Terra, constituem “uma boa nova”, disse Funes à  AFP.

Vida provável

Todavia, “até o presente momento, não existe nenhuma prova de vida tampouco de vida inteligente” em Kepler 452b, ponderou o diretor do Observatório Vaticano. “É provável que haja vida – e até mesmo vida inteligente –, contudo provavelmente jamais saberemos”, devido à enorme distância entre a Terra e Kepler 452b.

Com a tecnologia humana atual, seriam necessários 11 milhões de anos de viagem para chegar a esta “segunda Terra”, situada a 1,4 mil anos-luz do nosso planeta. (RB/AFP)