Jerusalém (RV) – Por iniciativa de um rabino, o Elijah Interfaith Institute de Jerusalém realizará uma coleta de solidariedade em favor da restauração da Igreja da Multiplicação dos Pães de Tabga, às margens do Lago de Tiberíades, alvo de um incêndio doloso em 18 de junho passado. O Patriarcado Latino de Jerusalém reporta que o Rabino Alon Goshen-Gottstein, fundador do instituto, lançou a ideia há poucos dias e já obteve o apoio de outros rabinos e do porta-voz da Knesset, Yuli Edelstein.

Goshen-Gottstein deplorou e condenou o recrudescimento dos atos de vandalismo anticristãos na Terra Santa, explicando que a iniciativa de solidariedade “não visa somente restaurar a igreja, mas quer também lançar uma mensagem ao mundo. O hebraísmo que queima as igrejas e as mesquitas não é o nosso. A coleta de fundos – afirmou – é uma maneira para expressar o nosso apoio concreto à amizade entre as religiões”. O Instituto fundado pelo rabino reúne representantes de diversas confissões empenhados no diálogo inter-religioso.

Na última semana foram presos dois jovens responsáveis pelos atentados. Yinon Reuveni, de 20 anos, foi acusado pela Corte de Nazaré de incêndio doloso por motivos racistas, enquanto Yehuda Asraf, de 19 anos, é acusado de ter colaborado com o crime, colocando um automóvel à disposição.

Após o incêndio, os patriarcas e representantes das Igrejas de Jerusalém haviam denunciado com veemência o ato, falando de uma “profanação inaceitável” e pedindo às autoridades israelenses para agir com severidade e eficácia contra os responsáveis por tais crimes, infelizmente em crescimento nos últimos anos na Terra Santa. Nos dias sucessivos, quase três mil pessoas se manifestaram diante do santuário contra o atentado. (JE)