01/08
Afonso de Ligório nasceu no dia 27 de setembro de 1696, no povoado de Marianela, em Nápolis, na Itália. Filho de pais cristãos, ricos e nobres, que ao se depararem com sua inteligência privilegiada deram-lhe todas as condições e suporte para se tornar uma pessoa brilhante.

Enquanto seu pai o preparava nos estudos acadêmicos e científicos, sua mãe se preocupava em educá-lo nos caminhos da fé. Ele cresceu um cristão fervoroso, músico, poeta, escritor e, com apenas dezesseis anos de idade, doutorou-se em direito civil e eclesiástico.

Ele sempre foi muito prudente, atendia a todos, ricos ou pobres, com igual empenho. Era um advogado bem sucedido, mas em uma ocasião, por influência de políticas desonestas, acabou perdendo uma importante causa. Após este acontecimento, decidiu abandonar tudo e seguir a vida religiosa.

Ele concluiu os estudos de teologia, sendo ordenado sacerdote em 1726, estava com trinta anos. Seu pai demorou a aceitar sua decisão, mas vendo as ações do filho, acabou reconhecendo a graça de Deus presente nele.

Afonso colocou seus talentos a serviço do povo de Deus. Em suas pregações usava as qualidades da oratória e colocava sua ciência a serviço do Redentor. As suas palavras eram um bálsamo aos que procuravam a reconciliação e orientação, através do confessionário, ministério ao qual se dedicou durante todo o seu apostolado. Aos que lhe perguntavam qual era seu lema, dizia: “Deus me enviou para evangelizar os pobres”.

Em 1732, fundou a Congregação do Santíssimo Redentor (os Missionários Redentoristas), destinada exclusivamente à pregação aos pobres, às regiões de população abandonada, sob a forma de missões e retiros.

Em 1762 aceitou ser o Bispo da diocese de Santa Águeda dos Godos. Entretanto a saúde enfraquecida o fez retirar-se de volta para o convento, onde continuou a escrever. Durante a vida chegou a escrever mais de 120 livros e tratados. Dentre os mais célebres estão: Teologia Moral; Glórias de Maria, Visitas ao SS. Sacramento, Prática de Amor a Jesus Cristo e o Tratado sobre a Oração.

Afonso Maria de Ligório morreu aos noventa e um anos no dia 1º de agosto de 1787. Santo Afonso é doutor da Igreja e padroeiro dos confessores e moralistas.

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR
ORAÇÃO Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santo Afonso Maria de Ligório, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina e a proclamemos em nossas ações. Por Cristo Nosso Senhor. Amém!